Contato

Preencha o formulário abaixo e entraremos em contato em breve:



  

Mídia

Defesa realiza campanha educativa para sensibilizar população sobre possíveis ameaças terroristas

Ascom
30 de Junho de 2016

Dando continuidade ao Plano de Sensibilização e Dissuasão a Ameaças Terroristas, executado pelo Ministério da Defesa, em parceria com a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e com o Ministério da Justiça, foi iniciada recentemente uma campanha informativa para alertar a população do Rio de Janeiro e demais cidades que receberão competições olímpicas sobre possíveis ameaças&

Brasília, 28/06/2016 – Dando continuidade ao Plano de Sensibilização e Dissuasão a Ameaças Terroristas, executado pelo Ministério da Defesa, em parceria com a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e com o Ministério da Justiça, foi iniciada recentemente uma campanha informativa para alertar a população do Rio de Janeiro e demais cidades que receberão competições olímpicas sobre possíveis ameaças durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

A campanha consiste na distribuição de folders, cartazes e cartilhas, além da disponibilização desse material para os mais diversos órgãos, tais como empresas de transporte urbano, bares, hotéis e outros locais, onde haverá grande circulação de pessoas, devido à realização das Olimpíadas.

 

 

O chefe da Assessoria Especial para Grandes Eventos do Ministério da Defesa, general Luiz Felipe Linhares, explica que a ideia é disponibilizar material de forma acessível para que o maior número de instituições participe da campanha. “É um material simples, que informa com clareza e sem alarde”, explica.

A ação é conduzida pelo Comando Conjunto de Prevenção e Combate ao Terrorismo (CCPCT), estrutura criada pelo Ministério da Defesa para reunir toda a expertise de Enfrentamento ao Terrorismo da Marinha, do Exército e da Força Aérea Brasileira, com vistas à realização dos Jogos Olímpicos. O comandante do CCPCT, general Mauro Sinott, afirma que esse tipo de campanha é fundamental para qualquer país que vai sediar um evento do porte dos Jogos Olímpicos – com quase 700 mil turistas, 209 nações, 100 chefes de Estado e cerca de 12 mil atletas. “Como o nosso país não tem tradição nesse tipo de ameaça, é preciso fazer com que as pessoas estejam mais atentas. A mensagem que queremos passar é: se você ficou desconfiado e achou a situação suspeita, é porque ela, de fato, é suspeita”, orienta o general.

 

 

Além do CCPCT, as Forças Armadas também contribuirão com o Enfrentamento ao Terrorismo em todas as regiões olímpicas do Rio (Copacabana, Barra, Deodoro e Maracanã), com os Centros de Coordenação Tático Integrado (CCTIs), estruturas regionalizadas, que também estarão em todas as cidades do futebol (Manaus, Salvador, Belo Horizonte, São Paulo e Brasília).

Além disso, durante os Jogos, o CCPCT se unirá com as estruturas de Enfrentamento ao Terrorismo do Ministério da Justiça e da ABIN no Comitê Integrado de Enfrentamento ao Terrorismo (CIET), órgão de assessoramento do mais alto nível de responsabilidade pelas atividades de enfrentamento ao terrorismo para os  Jogos Rio 2016, tanto no nível nacional, por meio do Comitê Executivo de Segurança Integrada (CESI), como em nível estadual, por meio do Comitê Executivo de Segurança Integrada Regional (CESIR).

Estágio de Percepção de Ameaças Terroristas (EPAT)

A campanha educativa de prevenção ao terrorismo já estava prevista no Estágio de Percepção de Ameaças Terroristas (EPAT), realizado desde o início deste ano com o objetivo de orientar profissionais que exercerão atividades diretamente envolvidas no evento esportivo, como trabalhadores de redes hoteleiras, funcionários de empresas de ônibus e metrô, guardas municipais, integrantes da administração de pontos turísticos, motoristas de táxi e voluntários do Comitê Organizador Rio 2016.

As atividades compreendem ciclos de palestras que abordam noções sobre terrorismo contemporâneo, estrutura brasileira de enfrentamento a eventuais ameaças, procedimentos de prevenção adotados internacionalmente e protocolos a serem seguidos pelos órgãos de segurança. O objetivo é fazer com que as pessoas envolvidas estejam mais atentas e aptas a detectar e informar situações incomuns e atitudes suspeitas, multiplicando a capacidade de reação dos órgãos de segurança.

 

 

Assessoria de Comunicação Social (Ascom)
Ministério da Defesa
61 3312-4071

Fonte: Ministério da Defesa

 

Mais Mídia
Mídia
© Copyright 2017 Aronis Advogados - aronis@aronisadvogados.com.br
Rua Afonso Braz, 579, 12º andar - conj. 125 - 04511-011 - Vila Nova Conceição - São Paulo - SP - Brasil
Acesse nosso perfil no Linkedin
Ftech Soluções em Internet